7 de outubro de 2014

Belezas de Paris: O Grande Parque de La Villette

No Brasil, tudo acaba em pizza. Na França, tudo, vira e mexe, envolve Filosofia. Um exemplo é o grande parque construído em Paris na segunda metade dos anos 1980 e definido como "moins conçu comme un équipement urbain que comme une réflexion théorique". Desenvolvido pelo primeiro governo de esquerda da 5ª República (Governo Mitterrand), nele "«la marque socialiste s'exprime dans la volonté plus nette de rééquilibrer Paris vers l'Est avec des équipements culturels de haut niveau". Frescuras filosóficas e políticas à parte, o La Villette é um belo e amplo parque moderno, especialmente lindo nos dias ensolarados. Além das áreas verdes, nele estão instalados variados equipamentos bem como se realizam diversos eventos culturais. O terreno é dividido praticamente ao meio por um dos canais que cortam a capital francesa (Canal de l'Ourcq). No ano passado, tentei visitá-lo, mas chovia canivetes. Este ano, com dias belíssimos de fim de verão, deu para percorrê-lo de norte a sul.
Mais informações aqui (em Português) e aqui (em Francês e mais completo)




















Texto e fotos do proprietário do Blog

4 de outubro de 2014

Belezas de Paris:Cour Saint Emilion/Bercy

Estar em Paris e parecer que não se está em Paris. Que graça tem? Visto assim, parece mesmo um absurdo. Mas, cada um com seus cada uns. Eu gosto muito desta parte da capital francesa. É um bairro tranquilíssimo, limpo (sem aquele aspecto cascudo, sujo, que apresentam outras partes da cidade). Embora afastado do centro, do "fervo" dos boulevards, dos faubourgs, Bercy/Saint Emilion tem seu charme. Já devo ter explicado alhures que isso aqui era um porto (à margem do Sena) onde desembarcavam e guardavam para distribuir os vinhos Saint Emilion; um entreposto, afinal. Pois bem, aconteceu uma enchente - o que não é frequente no Sena, mas ocasionalmente ocorre - e a área ficou totalmente inundada, destruída e deteriorada. Permaneceu assim por anos, até que resolveram fazer um trabalho de recuperação. Os antigos armazéns onde guardavam o vinho foram transformados em lojas, restaurantes e bares. O panorama é parecido com o shopping Nova Olaria de Porto Alegre, mas sem o estigma de ser um local preferido pelos gays. Aqui, não, pode-se dizer que, pelo contrário, é o paraíso dos heteros. Nada contra uma ou outra opção, é apenas uma constatação. O local também tem salas multiplex de cinema, que começam a funcionar já no meio da manhã. Mas o bonito, mesmo, é ver a Cour Saint Emilion nos finais de tarde, com suas mesinhas na calçada repletas de gente jovem e bonita (e também pelos nem tão jovens e tão bonitos). Entre as lojas, tem até Fnac e Sephora, mas a maioria é de empreendimentos do tipo economia autosustentável e política, humana e ecologicamente corretos. Resumo da ópera: é um lugar bom de se estar.
A seguir, um dos aspectos da Cour Saint Emilion:






















Texto e fotos do proprietário do Blog

Belezas de Paris: Quai François-Mauriac/Port de la Gare

"Paris é uma festa", dizia o velho Hemingway. E continua sendo. Mesmo que de lá para cá - ou seja, desde a época em que Hemingway passava fome com a mulher e filho na Paris pós-Primeira Guerra Mundial - ela, Paris, tenha enfrentado outra grande guerra, um outro pós-guerra de miséria e fome, que foi seguido de 30 anos gloriosos, que murcharam com os dois choques do Petróleo dos anos 70, seguidos estes de uma série de desastres econômicos mundiais que culminaram com a crise de 2008 (que por aqui só rendeu uma "marolinha"). Mesmo assim, a capital dos franceses, que em muitas partes tem um aspecto cascudo, envelhecido, em outras se apresenta rejuvenescida, como mostram as fotos desta postagem, tomadas da Passerelle Simone de Beauvoir com vistas para as "berges basses" do Quai François-Mauriac/Port de la Gare, na Rive Gauche. A maioria delas comprova a atualidade da Lei de Lavoisier, pois são de barcos fora de combate reaproveitados ("na natureza nada se perde, tudo se transforma") como bares, restaurantes, boates etc... e estacionados ao longo do Sena" 










(Texto e fotos do proprietário do Blog) 

Belezas de Paris: "la Sainte-Chapelle du château de Vincennes"

Nesta postagem, fotos da Sainte-Chapelle de Vincennes, situada nas "afueras" de Paris. Vincennes fica para Paris como Canoas fica para Porto Alegre, por exemplo, ou a Barra da Tijuca para o Rio de Janeiro, ou São Bernardo para S. Paulo.  A igreja situa-se no âmbito onde havia um dos castelos reais, do qual ainda restam algumas partes preservadas. Foi erguida na Idade Média, no estilo gótico flamejante e está muito bem conservada. É um prédio muito bonito e uma das maravilhas não só da arquitetura, mas também da engenharia, pois os engenheiros "góticos" eram  uns verdadeiros craques no metier e mudaram a face da arquitetura medieval, fazendo-a trocar o estilo românico pelo ogival. Vincennes ainda tem um bosque, que leva o mesmo nome, e nela fica uma das estações terminais da Linha 1 do metrô de Paris (a outra estação terminal é La Defense, do lado Oeste da área urbana), linha esta que percorre o eixo histórico da capital francesa (se o turista se ativer apenas ao que se descobre ao longo dele, já terá alcançado boa parte do que interessa conhecer na Cidade Luz). A Sainte-Chapelle de Vincennes tem semelhança com a famosa Sainte-Chapelle situada na Îlle de la Cité, nas proximidades da Catedral de Notre Dame? Sim, tem. O que as difere é que a segunda é mais ricamente adornada, tem vitrais mais vistosos e possui um pavimento térreo, coisa que a primeira não dispõe.



















 (Texto e fotos do proprietário do Blog)