5 de outubro de 2016

Edifício Kavanag, considerado o mais bonito de Buenos Aires


Uma enquete do jornal o 'Clarin' entre pessoas não especializadas em arquitetura, feita há não muito tempo, apontou o Edifício Kavanagh como o mais bonito de de Buenos Aires. Não e para menos, imponente nos seus 31 andares, ele é do tempo em que bom gosto e a pretensão de agradar o olhar era um elemento fundamental na construção civil e na arquitetura. É um prédio de beleza sóbrias, que se impõe ao olhar. Parece a casa de um super-herói de histórias em quadrinhos. Conheci-o num domingo quente de dezembro de 1975 e suas formas ficaram na minha memória. Em 2009 andei por perto, mas não tive oportunidade de fazer fotos. O que só veio a acontecer em 2011, quando passei por Buenos Aires de retorno da Patagônia. Foi quando fiz as fotos que ilustram esta postagem (que dispensam legendas).










Fotos do proprietário do blog

2 de outubro de 2016

Um passeio pelos canais do Delta do Rio Paraná

É um percurso que vale à pena: muito ar, muita água, muito verde e silêncio. Aqui e ali os moradores locais aproveitando o dia bonito para se exercitarem nos remos. Muitas construções, tipo clubes náuticos, lembram estilos ingleses do fim do Sex. XIX e do início do Sec. XX. Tudo muito chique. 
Tigre é uma cidade da província de Buenos Aires. Experimentou, a partir da década de 1990, uma enorme valorização imobiliária, com a construção de grandes empreendimentos, inclusive um cassino.



Um dos clubes náuticos






Casa de Sarmiento




Cemitério de navios em frente ao porto de Tigre
Fotos de março de 2008

29 de setembro de 2016

Museu de arte moderna de Praga - Trade Fair Palace (Veletržní palác) Praha - National Gallery in Prague


Praga, capital da República Tcheca, não bastasse ser uma cidade com uma tradicional e intensa atividade cultural, frequentada ao longo de sua história por personagens como Smetana, Dvorák, Kafka e Rilke, conta com uma riqueza arquitetônica notável. Isso significa possuir um dos mais belos e antigos centros urbanos da Europa, que restou praticamente imune à destruição provada pelas duas Guerras Mundiais. 
Por isso, não se estranha que uma edificação moderna como Veletržní Palác se encontre cercada por prédios em sua maioria construídos no Sec. XIX. Este Veletržní Palác foi erguido entre 1925 e 1928 para servir como centro de feiras e exposições. Na época, a Tchecoeslováquia era um país soberano. A concepção arquitetônica do prédio, dimensões impressionantes, é influenciada pelos conceitos da Bauhaus alemã e pelo construtivismo russo. A partir de 1948, quando os comunistas tomaram o poder e transformaram a então Tchecoeslováquia num país-satélite da Rússia, o prédio recebeu nova destinação: ser a sede de empresas de importação e exportação.
Em, 1974, um incêndio provocou danos que quase levaram o prédio à demolição, mas ele veio a ser completamente restaurado e convertido em museu nos anos 1980. E foi qualificado como monumento histórico nacional. Com a sua transformação em museu, passou a abrigar o acervo de obras de arte dos séculos XIX e XX da Galeria Nacional de Praga (que é distribuída por oito prédios ao todo, entre os quais se inclui o Veletržní Palác, cada prédio é especializado em determinada época da história da arte).
O edifício ocupa um quarteirão inteiro e por dentro é vazado de alto abaixo, com as salas mais amplas agrupadas de um único lado (à esquerda de quem entra). Para a visita ao acervo é recomendado que se suba de elevador até o último pavimento, o 5º, e vá-se descendo pelas rampas que interligam os andares. Mas, antes de tudo, não se pode deixar de passar pelos salões do térreo onde se encontra o conjunto de 20 telas monumentais dedicadas à Epopéia Eslava por Alfons Mucha, o famoso  pintor, ilustrador e designer gráfico checo, um dos principais expoentes do movimento Art Nouveau.
O acervo exposto no Veletržní Palác é riquíssimo tanto em termos de produção local como da estrangeira.  

A seguir, algo do acervo:


 No contexto da cidade

Fachada do prédio com influência do construtivismo russo

 Mucha: "Apoteose, eslavos para a humanidade"

Mucha: Abolição da servidão na Rússia

 Alexander Archipenco (1887-1964): Torso (frontal)

Alexander Archipenco (1887-1964): Torso (lateral)

Picasso

 Jan Zrzavý (1889-1977), Última Ceia, 1913, óleo sobre tela

 Jan Zrzavý (1889-1977), "O Sermão da Montanha" (1912), óleo e têmpera sobre tela

Van Gogh: "Trigal ainda verde com ciprestes" (1998), óleo sobre tela

As fotos são do proprietário do blog




Na Wikipedia: 


16 de setembro de 2016

Praga, a bela Praga!

Praga é uma cidade muito bonita, uma das mais lindas capitais europeias. Foi pouco afetada pela destruição da guerra e conserva praticamente intacta toda a sua arquitetura do Sec. XIX com alguma coisa mais antiga (como o palácio onde houve a Defenestração). Tive a sorte de conhecer Praga já libertada e não sob o jugo soviético. E no verão, em dias luminosos. Mas, como todas as cidades centro-europeias, achei Praga opressiva. Deve ser porque fica longe do mar ou de algo tipo Lagoa dos Patos, em cujas margens me criei. Não é por nada que Praga é a terra natal de Kafka. A seguir, algumas fotos da capital da República Tcheca (com Panasonic TZ40 e iPhone5).


             Praça central numa manhã de verão

                      Herói nacional

                        A bela arquitetura

                     Catedral gótica

                              Vista panorâmica

                                                    O famoso relógio

                               Outra das típicas construções da cidade

                                      Exemplo da grande tradição hoteleira europeia

            Arquitetura da era soviética

           O Palácio "Coroa", joia da arquitetura "art déco"

          Novamente o a exaltação soviética do trabalhador

          A boa  cerveja tcheca

       O café da manhã

         Assado à moda tcheca

           Kafka, nunca esquecido

10 de fevereiro de 2016

A deslumbrante Livraria Lello, de Oporto, uma das livrarias mais lindas do mundo - The stunning Lello Bookstore in Porto, one of the most beautiful bookstores in the world

A Livraria Lello da cidade do Porto, Portugal, é considerada uma das mais bonitas do mundo. Alguns a consideram a mais bonita. Além de tradicional no setor livreiro português, a Lello, que já se denominou Lello & Irmão, se destaca pelo belo prédio que ocupa, uma construção inspirada nas concepções góticas da Idade Média.

Também chamam atenção, no interior, as estantes em madeira cuidadosamente trabalhada e uma escadaria tão singular que serviu de inspiração para J. K. Rowling (foi o local onde Harry Potter conheceu Gilderoy Lockhart no livro "Harry Potter e a câmera dos segredos"). Assim como uma clarabóia com desenhos em vidro multicoloridos.

Desde 2015, o acesso ao interior do prédio exige o pagamento de uma taxa, que pode ser abatida no preço dos livros eventualmente adquiridos. O objetivo é reduzir o entra-e-sai de turistas e obter recursos para custear a preservação do edifício. O resultado foi a triplicação da venda de livros. No ano seguinte, foram registrados mais de um milhão de visitantes, uma média de quase três mil por dia. Dos visitantes 40% são espanhóis, 15,9% franceses, 15,2% portugueses; seguem-se os brasileiros (6,6%), os alemães (4,6%) e os norte-americanos (3,1%).

Longa vida à Editora Lello de Oporto!

Mais sobre a Lello em:
e

Fachada

Estantes

Madeira cuidadosamente trabalhada

As obras

Homenagens aos ilustres

Raridades

Mezanino

Atualidades

História
Escadaria famosa

Trilhos

Panorama do interior

Detalhe do interior e da escada

Detalhe da escada


Outro detalhe da escada

Texto e fotos do proprietário do blog